sábado, 27 de abril de 2013

Diário da insanidade

Algo que chega aos sentidos neste instante, me cruza a mente- silencio o som, quero ouvir-me por dentro: Posso até amá-los por momentos, ou que os momentos se prolonguem por dias e anos. Mas eu sei que um dia, inevitavelmente vindouro, terei de matar esses corações, assim friamente como quem espreme uma nectarina com a mão. Ou então- e porque não?- recortar apenas o espaço onde o meu tom se entranhou transformando aquela batida numa outra, mais minha que sua. Vocês devem estar a perguntar-se porquê. Simplesmente, porque os corações ao mesmo ritmo não igualam mentes na mesma frequência. (...) 
                                                                            Iolanda Oliveira, in her own diary

6 comentários:

Kelly Rocha disse...

Adoro, é sempre maravilhoso ler-te ;)

Flávia disse...

Corações ao mesmo ritmo não igualam mentes na mesma frequência ? hummm , mas poderão cruzar-se entre si ?

Flávia disse...

faz todo o sentido , entendi perfeitamente :))

Anónimo disse...

és tão.. oh iolanda, nenhum adjectivo te seria inteiramente justo.

Maria disse...

Que bom foi ouvi-lo. Escreves tão docemente...

Inês disse...

és sempre tão doce. a tua escrita é maravilhosa.